Pular para o conteúdo

‘Love In Disguise’: Uma Jornada Pessoal através da Música

Uma faísca pode incendiar um campo inteiro. Uma única ideia – minúscula, inicialmente insubstancial – pode se expandir, se transformar e acabar se tornando algo muito maior do que jamais poderíamos imaginar. É assim que a criatividade opera; é assim que as músicas nascem. E foi assim que minha canção, “Love in Disguise“, veio à mente.

É fácil assumir que a música é apenas uma mistura de notas e palavras. No entanto, essa visão omite a rica e complexa mistura de experiências humanas que servem de pano de fundo para cada melodia, cada verso. Como um homem gay – e não apenas por isso – minhas experiências são impressas em todas as notas que toco, em todas as palavras que canto. Elas são minha conexão com o mundo, um convite para entender uma perspectiva que pode não ser universal, mas ainda é fundamentalmente humana. “Love in Disguise” é um retrato de tudo isso: é uma história de amor, luta, revelação e aceitação.

O refrão veio a mim como uma forte intuição. Foi o meu primeiro contato com a canção, um farol no meio da noite, sabia imediatamente que as letras que vieram à cabeça junto da melodia eram perfeitas para expressar algo profundo em uma construção simples.

“This is how to love in disguise, This is how to love when your eyes find love in disguise

É assim que se ama disfarçado, é assim que se ama quando seus olhos encontram o amor disfarçado.” – foram essas palavras que tomaram forma em minha mente e tão rápido se formaram no coração da canção.

love in disguise - guilherme godoy

Esta é uma música sobre amor disfarçado, mas não no sentido de que o amor precisa se esconder. Ao contrário, é uma exploração do amor que muitas vezes permanece não reconhecido, não valorizado ou simplesmente ignorado – o amor que é mascarado, não por escolha, mas por circunstância. E essa é uma experiência que muitas pessoas, especialmente aquelas da comunidade LGBTQIAP+, podem se identificar.

solidão em love in disguise - guilherme godoy

Em sua essência, “Love in Disguise” é uma história que se desenrola em duas camadas. Na superfície, é sobre o amor romântico. Mas, olhando mais de perto, é uma jornada de autoaceitação, um convite para abraçar quem você é, mesmo quando o mundo pode não estar pronto para fazê-lo. É um convite para encontrar coragem em um mundo que muitas vezes nos impede de sermos autênticos.

Igualmente, a canção também abre os braços para as pessoas que não amam escondidas, mas que buscam ter um olhar de amor e aceitação com alguém querido que se encontra nessa situação. A experiência familiar de acolhimento durante esse processo de conhecimento da sua própria identidade é essencial para qualquer indivíduo poder ter segurança emocional.

A música, em sua essência, é uma forma de comunicação. É uma linguagem que fala não apenas à mente, mas ao coração. “Love in Disguise” não é apenas uma canção; é um canal, uma maneira de compartilhar uma história que é tanto pessoalmente minha quanto universalmente humana. Ao compartilhá-la, eu espero inspirar outros a explorarem as suas próprias histórias, a entenderem as suas próprias experiências e, talvez, a encontrarem uma nova apreciação pelo poder transformador do amor – mesmo quando ele está disfarçado.

experiências de vida, love in disguise, guilherme godoy

Assim como uma faísca pode incendiar um campo, uma única ideia pode gerar uma música que reverbera, não apenas em uma sala de concertos ou nos palcos, mas no próprio tecido de nossa sociedade. “Love in Disguise” é essa faísca para mim, um vislumbre de uma possibilidade maior, um chamado para o amor em todas as suas formas. E talvez, no final das contas, essa seja a lição mais importante que todos podemos aprender: que o amor, mesmo em disfarce, é sempre digno de ser reconhecido, celebrado e, acima de tudo, sentido.

pt_BR